Somos diferente mas iguais ♀ ♂



“Após milhares de anos de domínio masculino, estamos agora no limiar da era feminina, quando as mulheres se erguerão à sua adequada proeminência, e o mundo inteiro reconhecerá a harmonia entre homem e mulher” – O Rebe


Um casal que estava passando por problemas de comunicação foi ver o Rebe. A mulher disse que o marido era consumido pelo trabalho, e que quando finalmente encontrava tempo para falar com ela, criticava-a e ficava lhe dando ordens. O marido disse que a mulher não tinha respeito por ele e não dava ouvidos a nenhuma de suas sugestões.

“Por que você acha que sua mulher deve ouvi-lo?” perguntou o Rebe. “Porque uma mulher deve ouvir seu marido,” foi a resposta. “Mas por que uma mulher deve ouvir o marido?” perguntou o Rebe novamente. “Por que o homem é o chefe da casa.”

“Não,” disse o Rebe. “A primeira coisa que você como homem deve obedecer é o edito de que ‘um homem deve honrar sua mulher mais que a si mesmo.’ Então a mulher justa terá um marido que pode respeitar e amar. Se o homem não cumpre o seu papel, então é a mulher que deve respeitosamente chamar-lhe a atenção.”

Homens e Mulheres: Diferentes Mas Iguais?

A sociedade contemporânea está apenas começando a mergulhar nas reais distinções entre homens e mulheres. Além das óbvias diferenças fisiológicas, existem também diferenças na maneira de pensar, falar e se comportar.

A fim de entender a natureza essencial do homem e da mulher, devemos afastar a subjetividade e olhar pelos olhos de D’us. Todo ser humano, seja homem ou mulher, foi criado pelo mesmo propósito – fundir corpo e alma para tornar eles próprios e o mundo um local melhor e mais sagrado. Em seu serviço a D’us, não há absolutamente distinção entre um homem e uma mulher; a única diferença é na maneira pela qual o serviço se manifesta.

Quais são as diferenças entre homens e mulheres?

Homem e mulher representam duas formas de energia Divina; são os elementos masculino e feminino de uma única alma.

D’us não é masculino nem feminino, mas tem duas formas de emanação: a forma masculina, mais agressiva, e a feminina, mais sutil. Para um ser humano levar uma vida plena, ele ou ela deve ter ambas as formas de energia: o poder da força e o poder da sutileza; o poder de dar e o poder de receber. O ideal é que essas energias se fundam sem conflitos. Os homens são fisicamente mais fortes. Por natureza, ele geralmente é mais agressivo e externamente orientado. Em contraste, uma mulher geralmente encerra o ideal da dignidade interior. Algumas pessoas confundem essa sutileza com fraqueza; na verdade, é mais forte que a mais agressiva força física que se possa imaginar. A verdadeira dignidade humana não grita; é uma voz forte, constante, que fala lá de dentro. A natureza da mulher, embora sutil, não é fraca. E a natureza de um homem, embora agressiva, não é bruta. Para que homem e mulher sejam completos, cada qual deve possuir ambas as energias. A resposta não é que homens e mulheres tentem ser semelhantes. Todos devem ser eles mesmos, percebendo que D’us concedeu a cada um de nós habilidades únicas com as quais vamos atrás dos nossos objetivos, e que nossa responsabilidade fundamental é tirar vantagem delas.

Qual é a verdadeira liberação para ambos os sexos?

Embora o feminismo com justo direito clame pelo fim da dominação e abuso masculino, e por direitos iguais para as mulheres, é vital chegar à raiz da distorção – de que nosso foco na vida, como homens ou mulheres, não deve ser simplesmente satisfazer o próprio ego ou as próprias necessidades, mas sim servir a D’us. A verdadeira libertação feminina não significa meramente buscar a igualdade num mundo masculino, mas liberar os aspectos femininos da personalidade de uma mulher e usá-los em benefício da humanidade.

Para que homem e mulher sejam completos, devem possuir as duas energias. Após tantos anos de domínio masculino, estamos no limiar de uma verdadeira era feminina. Chegou a hora de a mulher elevar-se à sua verdadeira proeminência, quando o poder sutil da energia feminina é realmente liberado para nutrir o poder patente da energia masculina. Já provamos que podemos usar nossa força para matar os demônios que nos cercam; vamos agora aprender a alimentar a Divindade interior.

Homens e mulheres devem concretizar seus respectivos papéis iguais e esforçar-se para complementar um ao outro na luta conjunta para melhorar a vida. A fim de corrigir o abuso do domínio masculino, os homens devem concentrar-se em usar suas qualidades dominantes para o bem. Devem aplicar sua força para proteger e preservar o caráter feminino, ajudando as mulheres a concretizar seu verdadeiro potencial para expor a Divindade, da qual o mundo precisa tão desesperadamente nos dias de hoje. Aprenda o que significa ser homem ou mulher, sobre a energia feminina e masculina. Aprenda a fazer jus ao seu potencial, a equilibrar essas energias para levar uma vida produtiva e com significado – uma vida Divina. E finalmente, aprenda a valorizar e a respeitar seu parceiro, homem ou mulher.

Nenhum comentário